«

»

Livros da Codificação Espírita

 

  • O Livro dos Espíritos
  • O Livro dos Médiuns
  • O Evangelho Segundo o Espiritismo
  • O Céu e o Inferno – ou a justiça de Deus Segundo o Espiritismo
  • A Gênese

Introdução

A Codificação Espírita é composta por 5 Livros: O Livro dos Espíritos, O Livro dos Médiuns, O Evangelho Segundo o Espiritismo, O Céu e o Inferno (ou A Justiça de Deus Segundo o Espiritismo) e A Gênese. A partir do segundo, todos os livros são baseados em O Livro dos Espíritos.

 

O Livro dos Espíritos

O Livro dos Espíritos veio a lume em 18-04-1857, lançado em Paris pelo Editor E. Dentu, estabelecido no Palais Royal, Galérie d’Orleans, n.º 13.

Nesta 1ª edição constavam apenas 501 perguntas e respostas. A 2ª edição, foi publicada a 16 de março de 1860, inteiramente refundida e consideravelmente aumentada, ficou sendo a edição definitiva com 1.019 questões.

A 1ª edição causou o primeiro impacto da Doutrina Espírita no mundo, preparando o ambiente para a segunda que a completaria.

É interessante frisar que o Codificador salteou o número 1.011 na 2ª edição francesa, definitiva, de 16 de março de 1860. Todavia, o texto foi mantido assim, mesmo nas quatorzes edições que se seguiram até a desencarnação de Allan Kardec.

Tendo em vista que a pergunta 1.010 é bastante extensa, comportando várias indagações, mais tarde, os tradutores acharam por bem desdobrá-la em 1.010 A e 1.011, sem que com isso houvesse qualquer alteração no seu conteúdo.

O Livro dos Espíritos é a coluna mestra do Pentateuco Kardeciano. Neste monumental trabalho participaram as seguintes entidades: São João Evangelista, Santo Agostinho, São Vicente de Paula, São Luís, Franklin, Swedenborg, Paulo (apóstolo), Sócrates, Platão, Fénelon e Lamennais, todos sob a égide do Espírito da Verdade, o Consolador prometido de que trata os versículos 16 e 12, respectivamente dos capítulos 14 e 16 do livro de João, do Novo Testamento.

Vários foram os médiuns que contribuíram para sua elaboração, através da Cestinha-de-bico (Psicografia indireta), dentre as quais não devemos esquecer as duas meninas, Caroline de 16 anos e, Julie de 14 anos, filhas do Sr. Baudin, amigo íntimo do Codificador.

O Livro dos Espíritos é um verdadeiro tratado filosófico, é um trabalho para ser estudado e meditado, com o auxílio dos demais volumes da Codificação. É constituído de quatro livros: o 1º versa sobre as causas primárias, abordando temas referentes a Deus; dos elementos gerais do Universo; da Criação, do Princípio Vital, etc…

O 2º Livro aborda o “Mundo Espírita ou dos Espíritos” que trata da Origem e Natureza dos Espíritos; da finalidade da encarnação; pluralidade das existências; da vida espírita, etc…

O 3º Livro trata das Leis Morais, abordando o conhecimento da Lei Divina ou Natural, que é a Lei de Deus, para servir de parâmetro à conduta do homem. Discorre ainda sobre a Lei de Adoração; do Trabalho; de Reprodução; de Conservação; de Destruição; de Sociedade; de Progresso; Lei de Justiça, Amor e Caridade.

Finalmente, o 4º Livro versa sobre “Esperanças e Consolações”, mostrando a vida do Espírito Encarnado (Penas e Gozos Terrenos), suas lutas, as vicissitudes a vencer, bem como o porvir do Espírito no Plano Espiritual (Penas e Gozos Futuros), discorrendo sobre vários assuntos que vai da pergunta 958 até a de n.º 1.019, última questão de O Livro dos Espíritos, cuja resposta foi dada por São Luís. Em seguida segue-se a conclusão do trabalho, com excelente dissertação assinada por Santo Agostinho.

O Livro dos Médiuns

Esse trabalho tem como base o 2º Livro de O Livro dos Espíritos. Está dividido em duas partes: a 1ª parte trata de Noções Preliminares, contendo quatro capítulos que versam, no aspecto global, sobre a existência dos espíritos; o sobrenatural e o maravilhoso; método (maneira de proceder com os materialistas, incrédulos por ignorância, espíritas experimentadores, imperfeitos e verdadeiros espíritas, etc…

A 2ª parte é composta de 33 capítulos dos quais 32 abordam os aspectos da mediunidade, nas suas diversas manifestações – psicografia, psicofonia, etc…; a ação dos espíritos sobre a matéria; dos médiuns (a formação do médium, a influência do meio, do papel dos médiuns nas comunicações), da mediunidade entre os animais, da obsessão, da identidade dos espíritos, das evocações, das perguntas que se podem dirigir aos espíritos, das contradições e das mistificações, do charlatanismo e prestidigitação, das reuniões e das sociedades espíritas, do regulamento da sociedade parisiense de estudos espíritas e finalmente dissertações espíritas sobre o espiritismo, os médiuns, as sociedades espíritas e comunicações apócrifas.

O último capítulo se compõe de um vocabulário espírita. São os principais vocábulos utilizados na literatura espírita.

O Evangelho Segundo o Espiritismo

Tem como base o 3º Livro de O Livro dos Espíritos, e dar ênfase ao aspecto moral dos ensinos de Jesus. Esses ensinos foram extraídos dos texto existentes no Novo Testamento, que são os informes dos Evangelistas, Mateus, Marcos, Lucas e João. O fato importante é que o Evangelho Segundo o Espiritismo tem sempre um comentário acerca de um versículo, de uma parábola, etc…

Consta de 28 capítulos, sendo que o último capítulo é a uma coletânea de preces sugeridas para os diversos momentos de nossas vidas. A prece sugerida se constitui como um roteiro, não como um instrumento a ser decorado e falado maquinalmente.

Uma prática que os Espíritos sugerem chama-se Evangelho no Lar. Essa prática consiste da reunião de algumas pessoas, sempre no mesmo dia da semana, sempre no mesmo horário. Uma pessoa faria a prece inicial – geralmente pedindo a assistência de Deus, Jesus, através dos espíritos esclarecidos -; outra pessoa abriria o Evangelho Segundo o Espiritismo e leria em voz alta e compassada a página aberta. Após esse procedimento todos comentariam aquilo que foi lido segundo sua interpretação. Essa prática deveria ser realizada por um período de tempo entre 15 e 30 minutos. Esgotadas as opiniões deve-se encerrar o estudo, com uma prece de agradecimento.

Os espíritos nos ensinam ainda que em nenhum momento após o início do estudo, o mesmo deverá ser interrompido. Caso haja apenas uma pessoa – materialmente falando – ainda assim o Evangelho pode ser realizado, pois estarão sempre presentes a esses convites, diversos espíritos. Portanto, a sensação de se estar falando sozinho é apenas aparente.

O Céu e o Inferno – ou a Justiça de Deus Segundo o Espiritismo

Tem como base o 4º Livro de O Livro dos Espíritos. É composto de duas partes: a 1ª parte tem 11 capítulos onde são estudados: o porvir e o nada, temor da morte, o céu, o inferno, o purgatório, doutrina de penas eternas, as penas futuras segundo o espiritismo, os anjos, os demônios, intervenção dos demônios nas modernas manifestações e da proibição de evocar os mortos.

A 2ª parte, tem 8 capítulos onde o 1º capítulo trata do “passamento” – momento da morte -, e a partir do 2º capítulo tem-se depoimentos sobre diversas classes de espíritos, assim denominadas: espíritos felizes, espíritos em condições medianas, espíritos sofredores, suicidas, criminosos arrependidos, espíritos endurecidos, expiações terrestres.

A Gênese

Último Livro da Codificação, baseia-se entretanto no Livro 1º de O Livro dos Espíritos. A Gênese traz a visão espírita sobre a formação e povoamento dos mundos, os milagres e as predições.

Do capítulo 1º ao 12º aborda-se: o caráter da revelação espírita, Deus, o bem e o mal, o papel da Ciência na Gênese, antigos e modernos sistemas do mundo, Uranografia geral (o espaço e o tempo), onde são estudados: a matéria, as leis e as forças, a criação primária, a criação universal, os sóis e os planetas, os satélites, os cometas, a Via-Lactéa, as estrelas fixas, os desertos no espaço, eterna sucessão dos mundos, a vida universal e a diversidade dos mundos; esboço geológico da Terra – períodos geológicos (estado primitivo do globo, período primário, período de transição, período secundário, período terciário, período diluviano, período pós-diluviano ou atual – nascimento do homem); teorias sobre a formação da terra; revoluções do globo, Gênese orgânica, Gênese espiritual, Gênese Mosaica.

Do capítulo 13º ao 15º estuda-se os milagres de Jesus. Os assuntos estão assim distribuídos: Caracteres dos milagres; os fluidos, os milagres do Evangelho.

Do capítulo 16º ao 18º estuda-se as predições onde são abordados: teoria da presciência, predições do Evangelho e os sinais dos tempos.

 .